Biografia Michael Jackson

Esta Biografia foi retirada do site das lojas americanas com os devidos créditos.

Michael Jackson nasceu em 29 de agosto de 1958, o garoto Michael Jackson entrou para o showbiz ainda menino, em 1966, como integrante do Jackson 5. O grupo vocal, formado por ele e seus irmãos Jermaine, Tito, Jackie e Marlon e criado pelo pai Joe Jackson, foi um dos últimos grandes da fase clássica da gravadora Motown. “I Want You Back”, “ABC”, “The Love You Save” e “I’ll Be There”, os quatro primeiros singles do Jackson 5 chegaram ao topo da parada americana no ano de 1970.

Após os sucessos de “Mama’s Pearl” e “Never Can Say Goodbye” em 1971, Michael foi lançado em carreira-solo no ano seguinte. “Got To Be There”, “Rockin’ Robin” e “Ben” foram seus primeiros hits longe dos irmãos.

O Jackson 5 migrou para a gravadora Epic, mudou o nome para The Jackson e emplacou “Dance Machine” em 1974. Nessa época, a carreira-solo de Michael corria paulatinamente. Mas o caçula foi obrigado a se dedicar mais ao grupo, que começava a escrever suas próprias canções. Até que em 1979, o cantor lançou seu primeiro álbum-solo, o espetacular Off The Wall. O disco mescla faixas dançantes, como “Rock With You” e “Don’t Stop ‘Til You Get Enough” (conhecida no Brasil por ser o tema de abertura do programa de TV Video Show), com baladas inspiradas, casos de “She’s Out Of My Life” e da faixa-título, seguindo a cartilha do mestre Stevie Wonder.

Michael voltou a excursionar e gravar com os Jacksons, até que em 1982 lançou seu segundo álbum, Thriller. O disco, que acabou se configurando no maior fenômeno da história da música pop contemporânea, mudou a vida do cantor para sempre. Do dueto com Paul McCartney em “The Girl Is Mine” à guitarra de Eddie Van Halen em “Beat It”, Thriller serviu como parâmetro para quase tudo que foi produzido no começo da década de 80. Além de sete músicas no primeiro lugar das paradas, o disco vendeu 20 milhões de cópias no primeiro ano de mercado e sua vendagem nunca foi superada por nenhum outro título.

Em 1984, Michael gravou seu último álbum com os Jacksons, Victory. Ele já apresentava mudanças estéticas em decorrência das inúmeras plásticas que futuramente desfigurariam seu rosto e deixariam sua pele com uma tonalidade acinzentada, próxima do branco. Alegando não gostar do formato de seu nariz e de sofrer de vitiligo (doença que altera a pigmentação da tez), Michael justificou as mudanças. Seu comportamento peculiar e recluso o transformou na celebridade mais comentada dos dez anos que seguiram.

Com Bad (1987), Michael também passou a exibir seu lado megalomaníaco. No entanto, as quantias vultosas gastadas na produção do disco e dos clipes (a MTV sempre foi uma grande muleta em sua trajetória) não garantiram o mesmo sucesso de Thriller. A faixa-título, “The Way You Make Me Feel”, “Man In The Mirror”, “Dirty Diana” e “Another Part Of Me” foram os maiores hits. “Smooth Criminal” foi o tema principal do filme Moonwalker(“moonwalk” é o nome da dança inventada por Michael, em que desliza para trás, como se estivesse andando na lua), aventura estrelada por ele, que também virou jogo de videogame. Musicalmente, o Jackson mais famoso estava deixando de ser interessante.

Dangerous (1992) foi puxado por “Black Or White”, uma resposta de Michael às críticas a sua aparência (já bem alterada). Durante a divulgação do álbum, começaram a surgir as primeiras acusações de assédio sexual infantil contra o cantor. Sua imagem cada vez mais ficou associada aos pimpolhos e ele divulgou nota pedindo para ser chamado sempre de “King Of Pop” (rei do pop). A turnê Heal The World (nome de uma balada deDangerous) passou pelo Brasil em 1993, com enorme sucesso, mas o disco não repetiu sequer a performance de Bad

Na vida pessoal, ele se casou com Lisa Marie Presley, herdeira de Elvis, separou-se pouco tempo depois e teve um filho com uma enfermeira desconhecida. A recepção fria à coletânea History: Past, Present And Future, Book 1 (1995) deixou claro que Jacko não tinha mais a mesma força no mercado. Antes de se retirar para compor mais um disco de inéditas, lançou Blood On The Dance Floor: History In The Mix (1997), que apesar dos baixos números (em se tratando do Rei do Pop), se consagrou como a coletânea de remixes mais vendida de todos os tempos.

Com uma dívida milionária para saudar em decorrência de sua construção faraônica Neverland (espécie de parque de diversões misturado com circo e zoológico, onde leva os amiguinhos para brincar) e dos gastos com sua produção, Michael soltou Invincible no fim de 2001. Mais uma vez, o resultado foi comercialmente decepcionante.

One comment

  1. Boia fria do amor.

    Michael foi prisioneiro. Boia fria na arte de amar.
    Deixa uma biografica cuja essencia leva a uma reflexão.
    Ele cita algo que vai além do pensamento.
    O sentimento de voar nas asas da canção.
    Seguir as pegadas do poeta que diz:’
    É preciso fazer da queda um passo de dança e da procura um encontro’.
    Mergulho na reflexão:
    Nossas vidas são como as corredeiras do rio abraçando outros rios.
    O rio abraça o mar azul e torna-se um.
    Além do ceu azul a canção ensina.
    A arte de amar e ser amado.
    ‘Qualquer dias destes a gente se encontra’.
    Feliz de quem faz da vida um roteiro festivo.
    Que desperta nas manhãs com o brilho da vida.
    Tudo que precisamos é de colocar um Michael nas ideias.
    Sai por ai, divulgando o valor deste ideal.
    Feliz daquele que ama este estilo de vida.
    Tudo que precisamos é ter nos labios uma canção.
    Uma doce e suave cançao de amor

    Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s